quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

A Carta

Olá, querido!

Lembra-se de mim? Não?!
Como pôde esquecer-se de uma pessoa que fez parte de sua vida e te marcou para sempre? Coloque a mão no seu peito, meu querido, você se lembrará de mim. E agora? Lembra-se de mim? Sim! Sou eu querido! Não está entendendo não é mesmo? Por que estou lhe escrevendo? Gostaria de dar-lhe um recado: eu estou voltando querido. Na verdade, estamos todos voltando, todos nós, aqueles a quem você fez tanto mal, e estamos indo atrás de você, meu bem! Estamos com saudades!
Aquela marca ficou em seu peito não foi? Você jamais conseguiu dormir em paz outra vez não é mesmo? Eu sei! Fiz de tudo para que você ficasse marcado e jamais se esquecesse de mim, mas você começou a tomar alguns remédios e se esqueceu. Agora estou aqui para fazê-lo lembrar.
Aquela noite em que você me convidou para jantar, era para ser a noite mais perfeita da minha vida, mas foi essa noite em que ela acabou. Não me esqueço um segundo sequer do seu olhar, enquanto suas mão faziam-me perder o ar. Aquela faca que eu peguei não me adiantou de nada, mas fez você ficar com cicatriz. Apesar de não ter sido forte, a marca que eu lhe deixei ficou durante todos esses anos. Você está feliz agora, meu amor? Casa, carro , esposa, filhos... Eles não sabem o que você fez não é? O que seus filhos iriam dizer de você se soubessem? Iriam condenar-te até o fim de sua vida, iriam acabar com a sua paz, com a sua felicidade, com a sua vida - assim como você acabou com a minha.
Ainda consigo sentir o gosto, aquela sensação horrível de engasgar-me em meu próprio sangue, até não sentir mais a leve brisa da primavera em meu rosto. Já não estava mais lá, por um instante me senti flutuar e logo em seguida estava deitada ao lado de meu corpo, e você agarrado a ele ainda, com as mãos no meu pescoço, não tinha percebido que já havia acabado, ainda havia fúria em seus olhos. Depois de alguns segundos você soltou-me.
Lembro-me também daquele saco preto em que me colocou, era tão escuro lá dentro e tinha um cheiro insuportável, queria sair dali, mas não conseguia me mexer. Logo senti meu corpo frio e molhado, já estava no fundo daquele lago. O que você amarrou em minha perna, amor? Estava pesada e incomodava muito. Mas isso não importa. O que realmente importa é que estou voltando, querido. E estou com saudades. Não fique assustado, só quero você, amor, mas já fiz uma visita aos seus filhos, pode ir vê-los agora: estão na banheira.


P.S. Te amo eternamente.

2 comentários:

  1. Gostei :]
    Vamos chamar o Sam e o Dean :P

    ResponderExcluir
  2. Claro! Vamos sim!
    Eles podem ficar hospedados na minha casa!!!♥
    :)

    ResponderExcluir